Policia Civil

10/11/2017

Mandado de prisão é expedido para suspeito de causar acidente na Linha Verde

Foi decretada a prisão do motorista suspeito de causar um grave acidente, na Linha Verde, onde cinco pessoas morreram carbonizadas. Policiais civis da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), estão em diligencia desde o inicio da manhã desta sexta-feira (10/11), a fim de cumprir o mandado de prisão expedido pela Justiça. Ele é considerado foragido da Justiça.

De acordo com a polícia o crime aconteceu no último domingo (05/11), por volta das 6h no quilômetro 141, da BR 476, na região do bairro Pinheirinho. O motorista do Ciotröen/Xsara Picasso estaria em alta velocidade, trafegando no sentido Tatuquara, quando teria perdido o controle de seu veículo batendo de frente contra um Ford/Corcel, que vinha no sentido contrário.

No Ciotröen/Xsara Picasso, havia quatro ocupantes e, no Corcel, mais três pessoas. Destas, três vítimas fatais estavam no Corcel e as demais no outro veículo. Além do motorista, apenas uma pessoa que estava no mesmo carro que ele sobreviveu. O jovem suspeito pelo acidente fugiu do local, enquanto os carros envolvidos pegavam fogo.

As investigações iniciaram assim que uma equipe da Dedetran atendeu o local. Cerca de 15 pessoas foram ouvidas e mais de 10 vídeos da casa noturna que o motorista estava foram analisados. “Duas testemunhas, inclusive um passageiro do Ciotröen/Xsara Picasso prestaram depoimentos e afirmaram que o suspeito estava ingeriram bebidas alcoólicas”, falou o delegado responsável pelo caso, Anderson Franco, completando que o amigo sobrevivente afirmou que eles estavam em alta velocidade.

O delegado ressaltou ainda que os vídeos analisados mostram o momento que o suspeito estava ingerindo bebidas alcoólicas na casa noturna em que estava, momentos antes de dirigir, informação inclusive confirmada pela testemunha.

O rapaz foi indiciado por cinco homicídios dolosos, omissão de socorro, embriaguez ao volante, lesão corporal dolosa e afastar-se de local de acidente. A pena para cada homicídio doloso é de 6 a 20 anos.

O inquérito policial aberto para apurar o caso devera ser entregue a Justiça nos próximos dias.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.