Policia Civil

01/12/2017

Operação Rotatividade II encaminha mais de 20 pessoas para Central de Flagrantes de Curitiba

Mais de vinte pessoas, entre elas três chilenos, foram encaminhadas para a Central de Flagrantes de Curitiba em razão de uma operação realizada pela Divisão Policial da Capital (DPCap) junto do 1º Distrito Policial (DP), visando localizar foragidos da Justiça, além de coibir a exploração da prostituição, tráfico de drogas e demais crimes que o alimentam – como furto, roubo e receptação. A ação, nomeada Operação Rotatividade II, foi realizada nos dias 30/11 e 01/12, na região Central de Curitiba e contou com o apoio da Guarda Municipal.

Os alvos da operação policial foram os hotéis e pensões do Centro da cidade, os quais eram objeto de denúncias e reclamações por parte de moradores e comerciantes da região. Três estabelecimentos, situados nas ruas Comendador Macedo, Presidente Carlos Cavalcanti e Avenida Sete de Setembro, foram vistoriados. No total, a equipe apreendeu 13 aparelhos celulares utilizados para atividades ilícitas, porções de maconha, máquinas de passar cartões e cerca de R$ 2,4 mil em dinheiro.

Das 23 pessoas conduzidas, uma mulher de 28 anos, foi autuada em flagrante por exploração de casa de prostituição e posse de drogas para consumo. Além dela, os três chilenos, dois deles de 24 anos e um de 38, foram presos em flagrante pelo crime de receptação e associação criminosa, pois no quarto em que foram encontrados, a equipe apreendeu cinco celulares proveniente de furto e roubo. Um deles ainda contava com um mandado de prisão em aberto, expedido pela Justiça do Rio de Janeiro (RJ), por crime de furto qualificado.

De acordo com a delegada responsável pela operação, Juliana Dalacqua, a operação levou esse nome devido a alta rotatividade de pessoas que os ambientes vistoriados possuíam. “Devido a facilidade de locação dos quartos, muitas vezes sem registro de entrada e saída de hóspedes e, tampouco, exigência de apresentação de algum documento para identificação, esses estabelecimentos tornam-se locais propícios a abrigar traficantes, receptadores e foragidos da Justiça”, finaliza a delegada.

Os demais conduzidos na ação foram ouvidos e liberados. As investigações seguem e novas operações podem ser deflagradas a fim de trazer mais tranquilidade aos moradores e comerciantes do Centro da cidade.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.