Policia Civil

13/08/2019

PCPR cumpre mandados em petshops suspeitos de maus tratos na Capital

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) cumpriu 11 mandados de busca e apreensão, na manhã desta terça-feira (13), em endereços ligados à uma rede de petshops. Sócios e funcionários da empresa são suspeitos por maus-tratos a animais, estelionato e falsificação de documentos privados.

A operação foi realizada em Curitiba e em São José dos Pinhais (SJP) – Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Na Capital, os policiais civis cumpriram mandados judiciais nos bairros Batel, Hauer, Portão, Boqueirão, Pinheirinho, Centro e Campo Comprido, sendo que dois dos locais são em shoppings da Capital. Já na RMC, as buscas aconteceram no bairro Faxina e no Centro de SJP.

A empresa investigada atua na venda de filhotes de cães de raça, tem canil e clínica veterinária. Segundo a PCPR, o grupo se utilizava da estrutura e da fama consolidada para ludibriar clientes, que adquiriram animais a alto custo acreditando em sua procedência, mas na verdade recebiam animais com problemas. Na maioria das vezes com doenças pré-existentes e com emissão de “pedigree” falso.

Há indícios de que os animais ofertados pela empresa investigada sofriam maus-tratos. A investigação aponta que eram submetidos a condições degradantes de sobrevivência, passando finais de semana sem alimentação e higiene adequada.

De acordo com as diligências, a empresa comercializa raças de cães que não são procriadas no canil da rede e revende como se fossem da matriz. Além disso, não permitem visitação no local, pois alegam que é para segurança dos cães.

Ao todo, 72 cães foram resgatados e três pessoas foram encaminhadas à delegacia da PCPR. Os animais apreendidos receberão atendimento em uma Organização Não Governamental cadastrada na Prefeitura de Curitiba, onde receberão tratamento e posteriormente serão colocados para adoção.

Ação distinta - No período da tarde, a PCPR realizou operação em outro petshop da Capital. Nesta ação 22 filhotes de cachorro em situação de maus-tratos foram resgatados e o proprietário autuado com uma multa de R$ 60 mil pela rede de Proteção Animal.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.