Polícia Civil

05/11/2008

Presa quadrilha que causou rombo de R$ 7,5 milhões à Brasil Telecom

Funcionários participam de esquema que resultou em mais de 50 pessoas presas

Policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) colocaram atrás das grades uma quadrilha acusada de usar o sistema da empresa de telefonia Brasil Telecom para anular ou diminuir em até 95% o valor das contas telefônicas de residências e empresas nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Cerca de 200 policiais civis começaram, às 6h desta terça-feira (04), a Operação Espectro, para cumprir 73 mandados de prisão e de busca e apreensão, expedidos pelo juiz da Vara de Inquéritos Policiais, Pedro Luis Sanson Corat, nos três estados do Sul. A polícia estima que a quadrilha gerou prejuízos de mais de R$ 7,5 milhões para a empresa telefônica.

“Um trabalho extremamente profissional, com uso das mais modernas técnicas de inteligência policial foi realizado pelos policiais do Cope. O que prova mais uma vez que o uso da tecnologia no trabalho de investigação só faz com que a sociedade ganhe com isso. O combate ao crime organizado é uma das políticas mais fortes da Secretaria de Segurança desse governo. Esse combate tem obtido sucesso também graças à mão forte do Poder Judiciário, principalmente da Vara de Inquéritos Policiais”, disse o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari.

Dentre as fraudes cometidas estão alteração de cadastros, retirada de bloqueio de clientes inadimplentes e, principalmente, retificação indevida de faturas, reduzindo os valores originais em até 95%. A quadrilha era composta por Vandré de Oliveira Araújo, acusado de ser o mentor do grupo, nove co-autores, funcionários da empresa e centenas de beneficiários.

“Essa é a primeira etapa da Operação Espectro. Futuramente vai haver outros desdobramentos que serão investigados. Essa fraude só foi possível devido ao grande conhecimento de Vandré de Oliveira Araújo, que já trabalhou em uma empresa que prestava serviços para a Brasil Telecom”, explicou o delegado chefe do Cope, Miguel Stadler.

INVESTIGAÇÃO – O esquema estava sendo investigado pelo Cope, desde dezembro de 2007, quando o Centro de Operações foi procurado pela Brasil Telecom, que detectou a fraude. Segundo a polícia, a quadrilha era comandada por Vandré, que já trabalhou em empresas especializadas em telefonia, e agia nos três estados do sul, por meio de uma rede de pessoas de confiança. Nove conhecidos de Vandré - incluindo sua sogra e alguns amigos – eram os responsáveis por angariar pessoas que quisessem se beneficiar com a fraude da quadrilha. O serviço começou sendo oferecido para pessoas próximas.

Todas as fraudes eram possíveis, graças a funcionários da Brasil Telecom que o próprio Vandré e pessoas de sua confiança aliciavam. “Eles recebiam uma espécie de aluguel semanal de suas senhas de acesso e de segurança do sistema da empresa”, explica Francisco Alberto Caricati, delegado-chefe da Subdivisão de Operações do Cope, que comandou as investigações. De posse delas, o mentor da quadrilha conseguia entrar a qualquer hora no sistema, abrir ordens de serviço e autorizar as mudanças solicitadas pelos clientes. “As modificações nos valores das contas eram bastante significativas, chegando a ser diminuídas para R$ 0,02”, explicou o delegado.

Os beneficiários com o golpe da quadrilha pagavam 50% do valor devido para os aliciadores, que repassavam na maioria das vezes a metade deste valor para Vandré. Essa quantia era negociada entre o mentor e as pessoas de confiança.

“TELEMARKETING” – Segundo policiais, a quadrilha funcionava há cerca de cinco anos e foi iniciada por Jeanete Zilli, ex-funcionária da Brasil Telecom, já falecida. O delegado Caricati afirma foi ela que passou todas as informações para que Vandré iniciasse sua trajetória criminosa em sua própria residência, que de acordo com a polícia, funcionava como um verdadeiro call-center.

De acordo com delegado Miguel Stadler, a Brasil Telecom começou a desconfiar do golpe, depois de perceber que grande quantidade de retificações nos valores de diversas contas eram feitas por um mesmo funcionário.

Participaram do cumprimento dos mandados de busca e apreensão e de prisão no Paraná, policiais de Ponta Grossa, Paranaguá, Divisão da Capital, Divisão Especializada, Delegacia de Furtos e Roubos e Estelionato. Em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, colaboraram policiais do Departamento de Investigações Criminais.

PRISÕES – Dentre as 59 pessoas presas até as 17 horas desta terça-feira, 31 eram de Curitiba, sete da Região Metropolitana, nove do interior do Paraná e nove de Santa Catarina. Vandré de Oliveira Araújo, acusado de ser o mentor da quadrilha, foi detido em sua residência no bairro Boqueirão, em Curitiba, por volta das 6h15 e não reagiu. No local foram encontrados documentos, comprovantes de pagamento, dois notebooks, memórias de computador e papéis com números de telefone.

De acordo com o delegado Caricati, as provas que foram recolhidas em todos os cumprimentos dos mandados dão indícios de que a quadrilha também estava fraudando contas de outras empresas telefônicas. “Vamos investigar com precisão, mas pelo que recolhemos parece que a Vivo, a GVT e contas de celular da Brasil Telecom também eram fraudadas”

Além de Vandré, foram presos oito suspeitos de ser co-autores da fraude, oito de ser partícipes (funcionários da Brasil Telecom e aliciadores dos funcionários) e 42 beneficiários. Também foi encontrada uma central telefônica clandestina no bairro Santa Cândida, em Curitiba. Todos os detidos foram encaminhados para o Centro de Operações Policiais Especiais onde serão interrogados. Eles serão acusados de estelionato e formação de quadrilha.


BOX – Segue abaixo a lista completa dos integrantes da quadrilha:

ACUSADO DE SER O MENTOR
Vandré de Oliveira Araújo, Curitiba (PR) - PRESO

ACUSADOS DE SEREM CO-AUTORES
1. Vera Lucia Cassins Budag, Curitiba (PR) - PRESO
2. Hugo Rico Meira, Curitiba (PR) - PRESO
3. Jorge Junior Leonel, Araquari (SC) - PRESO
4. Alexis Yuri Zilli Schilipak Whischral, Curitiba (PR) - PRESO
5. José Carlos Pedro de Jesus, Curitiba (PR) - FORAGIDO
6. Edson Bispo Duarte, Curitiba (PR) - PRESO
7. Fabio Pereira, Curitiba (PR) - PRESO
8. Edemilson Geraldino Pereira, Piçarras (SC) - PRESO
9. Jackson Figueiredo, Curitiba (PR) - PRESO

ACUSADOS DE SEREM PARTÍCIPES (FUNCIONÁRIOS DA BRASIL TELECOM, ALICIADORES DOS FUNCIONÁRIOS)
1. Pamella Cassins Budag, Curitiba (PR) - FORAGIDO
2. Priscilla Cassins Budag, Curitiba (PR) - PRESO
3. Clineu do Nascimento Costa Junior, Curitiba (PR) - PRESO
4. Amir José Pidluznyj, Curitiba (PR) - PRESO
5. Juliana de Queiroz Penachio, Curitiba (PR) - PRESO
6. Rosangela Carvalho de Lima de Moraes, Curitiba (PR) - PRESO
7. André Luiz Abdala, Curitiba (PR) - PRESO
8. Kelli Daiana Pereira, Curitiba (PR) - PRESO
9. Daisy Tassiana Bereza Alves, Curitiba (PR) - PRESO

ACUSADOS DE SEREM BENEFICIADOS
1. Izabel Kryzanowski, Curitiba (PR) - PRESO
2. Vanderlei Rogério Gutierrez Jorge, Curitiba (PR) - PRESO
3. Regina Célia Scalise, Colombo (PR) - FORAGIDO
4. João Eloi Butzen, Fazenda Rio Grande (PR) - FORAGIDO
5. Cleidemar Fátima Ferreira, Curitiba (PR) - FORAGIDO
6. Gisele Olicio de Oliveira, São José dos Pinhais (PR) - PRESO
7. Sidney Vascon, São José dos Pinhais (PR) - PRESO
8. Rosangela Aparecida Rocha dos Anjos, São José dos Pinhais (PR) - PRESO
9. Eurides Rosa Ribeiro, Curitiba (PR) - PRESO
10. Aldo Cardoso, Curitiba (PR) - PRESO
11. Marcio Ribeiro, Curitiba (PR) - FORAGIDO
12. Paulo Afonso de Almeida Duwe, Curitiba (PR) - PRESO
13. Edmeire Claudia Camargo, Colombo (PR) - PRESO
14. Samuel Rodrigo Dalmazo, Curitiba (PR) - PRESO
15. Ângela Antunes da Silva, São Bento do Sul (SC) - PRESO
16. Mario Jorge da Conceição Amador, Araucária (PR) - PRESO
17. Lourdes Serafim Machado, Criciúma (SC) - PRESO
18. José Aglailson Pereira de Melo, Piçarras (SC) - PRESO
19. Selma Maria Ferreira Silveira, Piçarras (SC) - PRESO
20. Ideraldo Ilson Perreira de Macedo, Piçarras (SC) - PRESO
21. Marlete Erme, Piçarras (SC) - PRESO
22. Fernando Mauricio Carneiro, Itajaí (SC) - PRESO
23. Otoni da Silva Pires, Teixeira Soares (PR) - PRESO
24. Thayane Fernanda Pereira Gonçalves, Curitiba (PR) - PRESO
25. Helenice de Paula Belmer, Pinhais (PR) - PRESO
26. Eloiza Cristina Cruz Zene, São Mateus do Sul (PR) - PRESO
27. Marcio Braga Alves da Silva, São José dos Pinhais (PR) - FORAGIDO
28. Gustavo Leite da Silva, Curitiba (PR) - PRESO
29. Cleverson Portella Metka, São Mateus do Sul (PR) - FORAGIDO
30. José Vieira Rocha, Cascavel (PR) - PRESO
31. Isidoro Sedor, Cascavel (PR) - PRESO
32. Ivani Verginio, Curitiba (PR) - PRESO
33. João Maria Silva, Maringá (PR) - PRESO
34. Nadir Dias de Souza Barbosa, Toledo (PR) - PRESO
35. Elias Arcanjo de Faria, Cascavel (PR) - PRESO
36. Juarez Gilmar Pieniak, Cascavel (PR) - PRESO
37. Sinesia de Godoy Dionosio, Cascavel (PR) - PRESO
38. Francisco Ilario Chechaka, Curitiba (PR) - PRESO
39. Mirian Rehbain Rosa da Silva, Curitiba (PR) - PRESO
40. Jurandir Pereira, Curitiba (PR) - PRESO
41. Antonio Carlos Castagnolli, Curitiba (PR) - PRESO
42. Maria Helena Miranda Terezio, Curitiba (PR) - PRESO
43. Ariel de Barros, Curitiba (PR) - PRESO
44. Loide Ferreira da Luz, Curitiba (PR) - FORAGIDO
45. Kaoro Abe, Curitiba (PR) - FORAGIDO
46. Francisco Manzino Filho, Curitiba (PR) - FORAGIDO
47. Eliane de Oliveira, Curitiba (PR) - PRESO
48. Maria Aparecida de Navares, Curitiba (PR) - PRESO
49. Geanderson Luiz Whing Souza, Curitiba (PR) - PRESO
50. Reginaldo Manoel Adriano, Curitiba (PR) - PRESO
51. Loreci Maria de Quadros Abe, Almirante Tamandaré (PR) - PRESO
52. Lamartine Figuero, Sapiranga (RS) - FORAGIDO 
 
 


Fonte:
Agência Estadual de Notícias
http://www.agenciadenoticias.pr.gov.br/modules/news/article.php?storyid=37319
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.