V - Polícia Civil

07/04/2014

Estelionatário que troca cartões bancários é preso por policiais civis da DEDC

Na manhã do último sábado (5), policiais civis da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) prenderam em flagrante um estelionatário vindo de São Paulo que veio para Curitiba para enganar clientes bancários, fingindo ajudá-los nas operações em caixas eletrônicos e trocando os cartões. “Nos últimos seis meses, prendemos oito estelionatários paulistas em flagrante pela prática deste tipo de estelionato. Em conversa com este tipo de criminoso, eles nos dizem que estão ‘manjados’ no Estado de São Paulo e acabam indo para outros Estados. Com mais esta prisão, estamos mostrando que este tipo de criminoso não tem vez aqui no Paraná”, disse o delegado-titular da DEDC, Marcelo Lemos de Oliveira.

Segundo o delegado-adjunto da DEDC, Matheus Laiola, após serviço de inteligência, policiais da DEDC fizeram serviço de campana no Centro de Curitiba, na manhã do último sábado, para prender um paulista que teria vindo naquela mesma manhã apenas para praticar golpes de troca de cartões bancários.

Numa agência bancária localizada na esquina das ruas XV de Novembro e Monsenhor Celso, no Centro de Curitiba, por volta das 10h, os investigadores visualizaram o suspeito fazendo a troca de um cartão bancário de uma cliente do banco. “Imediatamente os investigadores deram voz de prisão ao homem, que posteriormente foi identificado Ronaldo da Silva Rosário, 33 anos”, contou Laiola.

Com Rosário foi encontrado o cartão bancário da vítima, que não havia percebido a troca. Ele foi preso por estelionato. “Em razão de investigação em curso deste tipo de crime, nós conseguimos a informação de que este elemento poderia agir na manhã de sábado em Curitiba. Conseguimos monitorar sua ação, prendendo-o em flagrante já na sua primeira ação criminosa”, destacou Laiola.

O golpe
O estelionatário aborda uma vítima que quer utilizar o caixa eletrônico, convencendo-a que a operação não foi finalizada. O criminoso convence a vítima a reinserir o cartão no caixa e digitar os dados (principalmente a senha). “Num descuido da vítima, o estelionatário troca o cartão dela por outro, sem que ela perceba. Com o cartão da vítima e a senha gravada pelo estelionatário, ele efetua saques da conta bancária da vítima”, explicou Laiola.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.