Violência contra a mulher

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) dedica atenção especial ao atendimento de mulheres vítimas de violência doméstica, familiar ou sexual. A capacitação e o treinamento dos policiais civis é o ponto de partida para isto. O objetivo é que as mulheres sejam atendidas com o profissionalismo, a atenção e o cuidado devidos neste tipo de situação, em todas as delegacias do Paraná.

 

Onde

Na Delegacia da PCPR da localidade ou na Delegacia da Mulher, nas cidades que contam com esta especializada.

Telefones e endereços das Delegacias da PCPR

 

Policial anotando o depoimento de uma vítima da violência contra a mulher

Delegacia da Mulher de Apucarana
Rua Erasto Gaertner, 786 – 2º andar – Apucarana – PR – CEP: 86.800-660 Fone: (43) 3423-0972 – e-mail: dpmulherapucarana@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Araucária
Avenida Archelau de Almeida Torres 1181 – Bairro: Iguaçu – Araucária – PR – CEP: 83.702-580 Fone: (41) 3614-0500 – e-mail: pmulheraraucaria@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Campo Mourão
Av. Manoel Mendes de Camargo, 230 – Centro – Campo Mourão – PR –
CEP: 87.302-080 Fone: (44) 3523-4250 – e-mail: dpmulhercampomourao@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Cascavel
Av. Brasil, 8962– Coqueiral – Cascavel – PR – CEP: 85.807-030
Fone: (45) 3226-2288/ 3326-8765– e-mail: dmcascavel@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Cianorte
R: Abolição, 538 – Cianorte – PR – 
Fone: (44) 3631-2169 – e-mail: dpmulhercianorte@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Cornélio Procópio
Rodovia PR 160, KM 1,9, nº 1800 – Jardim Veneza – Cornelio Procopio – PR
CEP: 86.300-000 Fone: (43) 3520-4950 – e-mail:   dpcornelioprocopio@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Curitiba
Avenida Paraná, 870 – Centro – Curitiba – PR – CEP: 80035-130
Fone: (41) 3219-8600 – e-mail: dpmulhercapital@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Francisco Beltrão
R: Ponta Grossa, 2262 - Centro – Francisco Beltrão – PR – CEP: 85.601-600
Fone: (46) 3524-5305/3524-8168 – e-mail: dpmulherfranciscobeltrao@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Foz do Iguaçu
Av. Anhembi, 223 – Vila A - Foz do Iguaçu – PR – CEP: 85.851-000
Fone: (45) 3521-2150– e-mail: dpmulherfoziguacu@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Guarapuava
Rua Guaíra, 4284 – Bairro Batel – Guarapuava – PR – CEP: 80.015-280
Fone: (42) 3626-2818/3630-1730 –  e-mail: dpguarapuava@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Jacarezinho
Avenida Getulio Vargas 380 – Centro – Jacarezinho-PR (Prédio Novo)
Fone: (43) 3511-0600 –  e-mail: dpmulherjacarezinho@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Londrina
Rua Marcílio Dias, 232 – Vila Fujita  - Londrina – PR – CEP: 86.015-620
Fone: (43) 3322-1633 – e-mail: dpmulherlondrina@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Maringá
Rua Julio Meneguetti, 195 – Jd. Novo Horizonte – Maringá – PR – CEP: 87.010-230
Fone: (44) 3220-2500 – e-mail: dpmulhermaringa@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Paranavaí
Av. Heitor Alencar Furtado, 4300 – Jd. Paraiso – Paranavaí – PR – CEP: 87.708-000
Fone: (44) 3421-1556 – e-mail: dpmulherparanavai@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Pato Branco
Rua Xavantes, 269 – Centro – Pato Branco – PR – CEP: 85.501-220
Fone: (46) 3220-0200 – e-mail: dpmulherpatobranco@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Ponta Grossa
Rua XV de novembro, 909 – Centro – Ponta Grossa – PR – CEP: 84.010-020 Fone: (42) 3309-1300 / e-mail: dpmulherpontagrossa@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de São José dos Pinhais
Av. Senador Souza Naves, 484 – Centro  – São José dos Pinhais – PR – CEP: 83030-620
Fone: (41) 3753-2050 – e-mail: dpmulhersaojosepinhais@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Toledo
Rua Dr. Cyro Fernandes do Lago, 251 – Vila Pioneiro – Toledo – PR – CEP:  85.910-020
Fone: (45) 3378-7300 – e-mail: 20sdp.dpmulher@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de Umuarama
R: Japurá, 3358 – Zona I – Umuarama – PR – CEP: 87.501-110
Fone: (44) 3639-6557 – e-mail: dpmulherumuarama@pc.pr.gov.br

Delegacia da Mulher de União da Vitória
R: Ipiranga, 444 – Centro – União da Vitória – PR – CEP: 
Fone: (42) 3522-5898

 


Se a agressão ocorreu


1 Vá até a delegacia da PCPR e relate o ocorrido. Você será orientada sobre o que fazer.

2 Em caso de estupro é importante procurar a PCPR nas primeiras 72 horas, você será encaminhada para atendimento hospitalar conveniado e terá uma gama maior de serviços à disposição. Se esse prazo passou, mesmo assim, vá à delegacia para registro da ocorrência e será orientada sobre os outros aspectos.

3 Não jogue as roupas fora, traga-as para a delegacia quando vier fazer a denúncia.

4 Quando o autor da agressão for desconhecido procure guardar a aparência física, das roupas ou detalhes que ajudem a identificá-lo.

5 Se puder, no momento da denúncia, traga seus documentos pessoais e endereço completo.

6 Se o autor for conhecido, se possível, nos informe: o nome, endereço e o maior número de informações.

 

  • Assegurar o combate à violência contra as Mulheres, que tem como objetivo específico o fortalecimento e a efetiva implementação de atendimento policial especializado para mulheres;
  • Assegurar tranquilidade à população feminina vítima de violência, através das atividades de investigação, prevenção e repressão dos delitos praticados contra a mulher;
  • Auxiliar as mulheres agredidas, seus autores e familiares a encontrarem o caminho da não violência, através de trabalho preventivo, educativo e curativo efetuado pelos setores jurídico e psicossocial.

Configura violência doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial:

  • no âmbito da unidade doméstica, compreendida como o espaço de convívio permanente de pessoas, com ou sem vínculo familiar, inclusive as esporadicamente agregadas;
  • no âmbito da família, compreendida como a comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa;
  • em qualquer relação íntima de afeto, na qual o agressor conviva ou tenha convivido com a ofendida, independentemente de coabitação.

FÍSICA - entendida como qualquer conduta que ofenda sua integridade ou saúde corporal;

PSICOLÓGICA - entendida como qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação;

SEXUAL - entendida como qualquer conduta que a constranja a presenciar, a manter ou a participar de relação sexual não desejada, mediante intimidação, ameaça, coação ou uso da força; que a induza a comercializar ou a utilizar, de qualquer modo, a sua sexualidade, que a impeça de usar qualquer método contraceptivo ou que a force ao matrimônio, à gravidez, ao aborto ou à prostituição, mediante coação, chantagem, suborno ou manipulação; ou que limite ou anule o exercício de seus direitos sexuais e reprodutivos;

PATRIMONIAL - entendida como qualquer conduta que configure retenção, subtração, destruição parcial ou total de seus objetos, instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades;

MORAL - entendida como qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria.

  • Feminicídio
  • Lesão corporal
  • Perigo de contágio venéreo
  • Calúnia
  • Difamação
  • Injuria
  • Constrangimento ilegal
  • Ameaça
  • Sequestro e cárcere privado
  • Redução à condição análoga a de escrava;
  • Vias de fato
  • Violação de domicílio
  • Dano
  • Assédio sexual 
  • Estupro 
  • Violação sexual mediante fraude  
  • Estupro de vulnerável      
  • Desobediência a decisão judicial sobre perda ou suspensão de direito, quando configurar, exclusivamente, quebra de medida protetiva de urgência determinada pelo Juízo
  • Importunação ofensiva ao pudor
  • Perturbação da tranquilidade


Importante

  • A violência familiar é sempre progressiva. Aos primeiros sinais procure ajuda.
  • Geralmente as agressões ocorrem nos ambientes familiares. Procure ajuda para a solução de seus problemas, antes que se tornem insuportáveis.
  • Vale lembrar que os estupros em família não ocorrem repentinamente. Fique atenta(o) ao comportamento de pais, companheiros, parentes e vizinhos, evitando o assédio que pode incorrer em violência sexual. Crianças e adolescentes molestados devem avisar uma pessoa de confiança para a tomada de providências.
  • Existem diversos serviços públicos e privados de ajuda à população, tais como Conselho Tutelar, Defensoria Pública, Serviços de Psicoterapia e outros que podem ajudá-la.
  • Evite andar sozinha por ruas poucos iluminadas e/ou movimentadas.

 

No atendimento às mulheres vítimas de violência todas as informações prestadas são sigilosas e os sofrimentos enfrentados pelas vítimas são respeitados.
Todas as providências necessárias de auxílio à mulher são tomadas, para a mais breve solução das denúncias.

Na dúvida sobre denúncia, ligue e peça informações