PCPR recebe homenagem na Alep por investigação de importunação sexual ocorrida em Palmas
17/11/2021 - 00:50

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) recebeu homenagem na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), nesta quarta-feira (17), por investigação de um caso importunação sexual que chocou o Brasil. O crime ocorreu em setembro deste ano em Palmas, região Sudoeste do Estado, e teve repercussão nacional com a divulgação da imagem da violência sendo praticada contra uma ciclista. 

No dia 26 de setembro, a vítima de 25 anos pedalava pela avenida Constantino Fabrício Silva Pinto, no Centro, quando foi tocada nas nádegas por um dos ocupantes de um veículo em movimento e chegou a cair no asfalto. 

A PCPR começou a investigação assim que verificou o relato que vítima fez em rede social. Inicialmente, a mulher acreditava que tinha sido vítima de um atropelamento. O delegado Felipe de Souza fez contato com a ciclista e coletou depoimento dela no dia 27. Com o acesso à imagem de monitoramento foi constatado que ela tinha sido vítima de importunação sexual e lesão corporal. 

O trabalho dos investigadores, Giselle Guimarães e Hildo Lapaz, iniciou na sequência para identificar os suspeitos. A imagem não fornecia a placa do veículo e inicialmente o objetivo era chegar a esses dados. 

O carona, de 19 anos, responsável por derrubar a ciclista, foi preso em flagrante no dia 28 de setembro por importunação sexual e lesão corporal qualificada. A prisão preventiva do motorista de 21 anos ocorreu no dia 30 de setembro. 

Onze dias após o crime, o inquérito policial foi relatado e remetido ao poder judiciário com o indiciamento do motorista e do carona pelos dois crimes. 

HOMENAGEM – A menção honrosa na Alep, proposta pelo deputado Goura e aprovada por todos os deputados do Legislativo, foi concedida aos três policiais civis que atuaram no caso.  

Durante a sessão plenária, o delegado da PCPR Souza destacou a necessidade de continuar a discussão a respeito da violência de gênero. “A violência doméstica e familiar tem sido muito discutida nos últimos tempos, mas é muito importante esse debate, precisamos coibir a violência contra as mulheres. É um tipo de fato que verificamos no Brasil inteiro e não podemos deixar que caiam no esquecimento”, disse. 

A investigadora Giselle avalia como necessário o debate sobre o crime de importunação sexual que tem sido feito no país. “A coragem da vítima em expor o caso incentiva outras mulheres a denunciarem e não aceitarem mais esse tipo de atitude. Acho que foi bem positiva e educativa a repercussão, que sirva de exemplo e que casos como esse não fiquem impunes. Com o caso dela pudemos mostrar que a PCPR tem resposta rápida”, reforçou.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias